fbpx
Nenhum comentário

4 problemas de pele mais comuns entre os cães!

Com mais de 160 tipos de doenças de pele, os cães são um dos animais que mais sofrem com problemas dermatológicos. Descubra quais são as principais enfermidades e como identificá-las para ajudar o seu doguinho.

As doenças de pele são algumas das principais causas de procura por tratamento veterinário para os cães. Mesmo as condições mais leves, se não forem devidamente tratadas, podem desencadear complicações mais sérias para o nosso parceiro. Assim, aprenda a identificar as doenças mais comuns para ajudar o seu pet caso ele comece a apresentar sintomas dessas dermatoses. 

Sarnas 

A sarna é um problema de pele extremamente comum e pode ser altamente contagiosa para outros cães e humanos. Atualmente, três tipos de sarnas são conhecidas pelos veterinários: sarcóptica, demodécica (ou sarna negra) e otodécica. 

A sarna sarcóptica é um dos tipos mais usuais de dermatose em cães e é causada pelo ácaro “Sarcoptes Scabiei”. Sendo extremamente contagiosa, ao afetar o doguinho, ela pode causar coceira, vermelhidão, quedas no pelo e espessamento da pele. Além disso, ela pode ser transmitida para humanos, causando sintomas semelhantes. 

Já a sarna demodécica, ou sarna negra, é transmitida pela mãe para os seus filhotes durante a amamentação e, infelizmente, não tem cura. O ácaro responsável pela doença pode viver normalmente na pele do cão, manifestando sintomas apenas quando o pet está com a imunidade baixa. Os principais sintomas da sarna negra, são: queda dos pelos, inflamação, espessamento da pele, vermelhidão e coceiras. 

Ainda que mais comuns em gatos do que cães, a sarna otodécica é causada por um parasita que habita o ouvido e a superfície da pele do animal. Comumente confundida com otite, esse tipo de sarna causa coceira, excesso de cera de coloração avermelhada ou marrom, feridas e mau cheiro, mas diferencia-se dela pelo fato de apresentar uma concentração ainda maior de cera. Ela pode ser transmitida para humanos e outros animais através do contato. 

Carrapatos e pulgas 

Ambos os parasitas são responsáveis por problemas de pele que, se não cuidados adequadamente, podem evoluir para casos graves de saúde e até a morte. 

No caso das pulgas, a sua picada leva a uma resposta alérgica do animal que irrita a sua pele e desencadeia coceira extrema e, em certos casos, causa a pele avermelhada e inflamada. Assim, o cão tende a arranhar e morder as partes afetadas, causando ainda mais sensibilidade e complicações na pele. 

Além de se alimentarem do sangue dos cães, os carrapatos podem transmitir protozoários e bactérias que dão origem a “doença do carrapato”, onde os agentes afetam órgãos vitais, ocasionando sintomas como anemia, febre, petéquias (pontos vermelhos pelo corpo), sangramento, perda de peso, convulsões e até a morte. Assim, ao identificar a presença de um carrapato no cão, é fundamental que ele seja propriamente extraído por um veterinário e que o tutor preste atenção nesses possíveis sintomas nas semanas seguintes ao diagnóstico do parasita.

Infecções por fungos 

Doenças causadas por fungos são muito comuns nas áreas quentes do corpo do cãozinho, como os ouvidos, a virilha, entre os dedos das patas e o períneo. Apesar da maioria dos fungos presentes no cão habitarem naturalmente o seu organismo, a sua proliferação descontrolada pode desencadear doenças mais sérias. 

Além disso, fatores como a exposição à umidade, desequilíbrios hormonais, presença de parasitas, alergia, nutrição deficiente e hipersensibilidade da pele também podem ser responsáveis pela aquisição e desenvolvimento de enfermidades fúngicas no cão. Três das doenças mais comuns desta categoria são: a candidíase, malasseziose e dermatofitose. 

Causada pelo fungo do gênero “Candida SPP”, a candidíase ocorre quando a sua presença se dá em excesso no cão, afetando principalmente as mucosas, narinas, orelhas, abdômen, períneo e, no geral, as áreas mais úmidas e quentes do organismo. A candidíase pode se manifestar através de inflamação, edema e coceira nos locais afetados até erosões úmidas e avermelhadas.  

Já a otite, coceira na orelha e secreções no ouvido podem ser sinal de malasseziose. O microorganismo responsável pela doença se prolifera sem controle no ouvido do animal por conta da umidade e calor ou por deficiências imunológicas, causando grande desconforto no nosso companheiro. 

De maneira semelhante a dermatofitose se desenvolve nos cães, porém neste caso, os fungos agentes são transmitidos por um animal infectado para outro sadio. Se alimentando da queratina da pele, esse fungo afeta essencialmente as extremidades do corpo do cão, como as patas e unhas e se caracteriza por coceira, pele descamada, inflamada, avermelhada ou endurecida, além de lesões nas unhas.

Alergias

Diferentemente dos demais problemas de pele vistos anteriormente, as alergias em cães podem causar reações em alguns animais e outros não, considerando que o sistema imunológico de cada um interpretará determinado alérgeno de maneiras diferentes. 

As alergias em cães podem ser causadas por fatores ambientais ou alimentares. Alguns dos alérgenos de ambiente mais comuns são a grama, ácaros, pólen e poeiras, podendo causar coceira, excesso de lambidas pelo corpo, evolução do quadro para lesões bacterianas ou fúngicas e otites recorrentes. Como os sintomas da atopia (alergia ambiental) são semelhantes a das demais doenças de pele, é importante que o veterinário realize a avaliação detalhada para que possa descartar as demais dermatoses e traçar um diagnóstico preciso dos motivos da reação alérgica. 

Já as alergias alimentares estão ligadas a uma intolerância do pet a certos alimentos, como carne bovina, ovos, frango e laticínios – embora alguns cães também sofram de alergias ao trigo ou até mesmo vegetais. Dentre os principais sintomas, estão: coceira no rosto, pés, orelhas, ânus, diarreia crônica, manchas avermelhadas e lesões bacterianas. Os doguinhos que tiverem o diagnóstico confirmado, terão que passar por uma reformulação da dieta junto com o veterinário responsável.

Busque sempre tratamento imediato 

Caso o seu pet apresente sintomas de uma dessas doenças, é importantíssimo que se busque a ajuda de um profissional para identificar com rapidez as causas da dermatose e o melhor tratamento para ela. 

E, para isso, não se esqueça que você pode contar sempre com a equipe da Doutor Pet para garantir consultas, exames e procedimentos essenciais para o seu doguinho!

você pode gostar também
Tags: , , , , , , , , , , , ,

Mais postagens semelhantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu