Alergia alimentar em gatos

Alergia alimentar é algo muito sério e que pode interferir muito na vida dos nossos pets. É causado por um alérgeno, ou seja, algum alimento ou substância específica ingerida pelo pet durante um período longo de tempo. Elas geralmente podem ser diagnosticadas observando atentamente o pet para identificar algum problema dermatológico como coceira excessiva, lesões e falhas na pele e pelo, além de sintomas como vômitos e diarreias.

Alguns motivos do aumento de alergia

Especialistas identificaram que os casos de alergia estão aumentando e alguns dos fatores podem estar relacionados ao meio ambiente, o qual se trata do aumento de alérgenos produzidos pelas plantas, que estão causando mais alergia agora do que costumavam causar. Outro fator é a relação entre o pet e o dono que está ficando mais forte, o que gera mais preocupação por parte dos donos em relação à saúde do animal, fazendo com que identifiquem melhor os sintomas.

Humanização dos pets

O fortalecimento da relação entre o pet e o dono é positivo para a atenção à saúde, mas pode ser prejudicial se em excesso. Tratar um animal como um humano pode contribuir, mesmo que indiretamente, para o aumento de alergias.

Oferecer alimentos comuns aos humanos, por exemplo, é um erro grave. Chocolates e alimentos muito temperados são péssimos para saúde do pet, pois além de contribuir para a obesidade, podem gerar problemas gastrointestinais. Outra situação é o excesso de mimos e higiene, que descaracteriza os instintos e o ambiente do pet deixando seu sistema imunológico fraco e suscetível a qualquer doença.

Como identificar e tratar?

Felinos com alergia alimentar costumam apresentar, durante um período contínuo de tempo, feridas na face que causam muita coceira e podem até formar crostas, pelo atrito em excesso das unhas na pele. Mas, isso não garante o diagnóstico, é preciso colocar em prática a dieta de eliminação, que consiste em oferecer fontes de proteína e carboidrato nunca antes consumidas e observar se os sintomas melhoram. Essa dieta pode ser realizada com rações hipoalergênicas, com proteínas quebradas em pedaços menores, que costumam causar menos alergia.

Após a confirmação da alergia através da dieta, para que o pet possa permanecer com ela a longo prazo será necessário o uso de suplementos, além de medicamos para fortalecimento do sistema imunológico para minimizar as reações alérgicas.

Os tutores precisam estar cientes de que esse é um tratamento necessário para a vida toda do pet, com constantes visitas ao veterinário e sem a possibilidade de abrir exceções durante esse período.  

Referência: Revista Pulo do Gato, ed. 123, pág. 22

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: