Prevenção para saúde bucal do pet

Assim como os humanos, os pets também estão sujeitos a doenças dentárias, o que pode resultar em dificuldades para se alimentar, salivação excessiva, sangramentos, alterações nos hábitos alimentares, mau hálito, entre outros. Segundos pesquisas, 85% dos cães e gatos com mais de 3 anos sofrem com alguma doenças bucal, sendo que os gatos apresentam problemas como lesão de reabsorção dentária e estomatites, além das fraturas dentárias em ambos.

O tutor precisa estar atento a saúde bucal do pet, pois além de problemas dentários, pela boca apresentar mais de 300 bactérias, em caso de infecção, podem chegar a corrente sanguínea e resultar em doenças mais graves como endocardites e glomerulonefrite, relacionada aos rins.

Médico-Veterinário Dentista

Para os pets também é necessário se consultar com um especialista odontológico. Lembrando que, na maioria dos casos de cães e gatos, é preciso aplicar anestesia para realizar o atendimento com segurança e sem complicações.

Dentre os tratamentos bucais possíveis de serem realizados nos pets estão endodônticos (canal), próteses, implantes e restaurações.

Prevenção

Para evitar qualquer tipo de doença, como as citadas acima, o ideal é prevenir sempre. Leva r o pet a um médico-veterinário especialista em odontologia está entre as obrigações do tutor, assim como as vacinas. Um exame de rotina, feito em um check-up anual, pode revelar problemas em fase inicial possíveis de serem tratados.

Essa consulta também é necessária para que o tutor receba as orientações adequadas sobre a saúde bucal do pet e os cuidados que precisa ter em casa. Objetos de couro, borracha ou ossos tem efeitos positivos na mastigação, mas não são o suficiente para manter o pet saudável e não substituem a escovação. A qual deve ser feita diariamente e com produto específico de uso veterinário, que não produzem espuma e não contém flúor, substância que pode irritar a mucosa intestinal.

Escovação

A escovação do pet pode ser feita com uma escova exclusiva de uso veterinário e que facilita a ação ou uma de uso humano, mas com cerdas bem macias. O ideal é que o pet seja acostumado a escovar os dentes desde filhote, o que facilita até mesmo os exames e consultas com o veterinário.

No ato da escovação, é importante ser firme, mas manter a calma sem mostrar irritação, pois não é um momento de castigo e nem de brincadeira. Depois, premiar o pet com um petisco ou um carinho pode gerar um reforço positivo para as próximas vezes.

Lembre-se, prevenir é o melhor sempre!

Simule aqui um Plano de Saúde para seu Pet!

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Referência: Revista Cães & Cia, ed. 456, pág. 38.

Deixe um comentário