Filhote cheira focinho de cão adulto que está deitado na grama

Na hora de aumentar a família canina – Filhote ou adulto?

Na hora de escolher um cãozinho de estimação, pode aparecer a dúvida: filhote ou um cão adulto? Algumas pessoas são imediatamente conquistadas pelo olhar e jeitinho fofo dos filhotes, mas é importante conhecer um pouco mais sobre a real necessidade deles. Já para quem pensa que um cão adulto demanda pouco tempo, é imprescindível compreender que esses cães têm necessidades para seu bem-estar físico e mental.  Iremos mostrar alguns pontos para serem levados em consideração na hora de aumentar sua família canina.

Filhote

Ao escolher um filhote, devemos lembrar que agora ele tem somente a nós, tutores humanos, como referência sobre o que pode ou não fazer. Isso quer dizer que se não ensinarmos a eles como as coisas devem acontecer, ele aprenderá de uma forma ou outra.

  • Mordidas e destruição: As mordidas são comportamentos naturais dos cães, seja para se distraírem, coçarem a gengiva ou até mesmo brincar. É nessa fase que devemos mostrar o que ele pode ou não pode morder, direcionando as mordidas para brinquedos apropriados, como os de nylon ou emborrachados. Lembre-se que o comportamento correto deve ser recompensado com carinho ou elogios.
  • Sociabilização: Participar desse período é uma grande vantagem e também responsabilidade, pois nele o filhote será apresentado a pessoas, outros cães e pets, crianças, barulhos e estímulos externos. É crucial que sejam sempre associações positivas, para que o pet acostume e não desenvolva traumas ou medo excessivo.
  • Personalidade: Em uma mesmo ninhada é possível ter filhotes com diferentes personalidades, sendo alguns mais tímidos e outros mais agitados. Nessa fase inicial, existe a vantagem de treiná-los e sociabilizá-los.
  • Tamanho e porte: É possível ter uma ideia do tamanho do animal quando conhecemos a mãe ou o pai dele, porém muitos SRDs (sem raça definida) são separados cedo da mãe, o que torna difícil identificar o tamanho que ele ficará. Para esses casos, uma dica é reparar nas características físicas do animal, como tamanho das patas e orelhas em relação ao corpo.

Cão adulto

  • Personalidade já definida: A grande vantagem de adotar um cão adulto talvez seja a sua personalidade já madura e definida. É importante identificar as principais vontades do cão e suas brincadeiras preferidas.
  • Fase adulta é a mais tranquila: Mesmo na fase adulta, eles também necessitam gastar energia e podem gostar de brincadeiras que envolvam mordias. Contudo, o animal adulto consegue entender melhor que os brinquedos servem para essa finalidade e possuem mais foco.
  • Relacionamento com outros cães: Caso você tenho escolhido um cão adulto, não desanime, pois é possível treiná-lo mesmo mais velho. Pode levar um pouco mais tempo, mas com paciência e dedicação é possível alcançar o objetivo. Uma dica é adotar cachorros adultos de ONGs ou de rua, pois já estão acostumados a conviver com outros cães.
  • Necessidades básicas: O cão precisa identificar a liderança em sua nova casa, além de contar com atividades mentais e físicas. Para te ajudar, aposte no enriquecimento ambiental do local, leva-lo diariamente a passeios, além de praticar brincadeiras e comandos que o estimule mentalmente. Se precisar de ajuda, contate um adestrador profissional.

 

Referência: Revista Cães & Cia, ed. 475, pág. 44 e 45

Simule aqui um Plano de Saúde para seu Pet!

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: