Doenças oftalmológicas – Quais são e como evitar?

Doenças oftalmológicas são cada vez mais frequentes em cães e gatos, principalmente para os braquicefálicos, ou seja, raças que têm a cabeça achatada, fazendo com que tenha nariz pequeno e olhos saltados. Algumas doenças acometem mais gatos, outras, cachorros. Separamos as principais:

Doenças comuns em gatos

Conjuntivite: É transmitida do gato ao cão, mas não é transmissível para o ser humano.  A inflamação causa vermelhidão nos olhos, remelas verdes ou amareladas e lacrimejamento.

                Pode ser curado com colírio anti-inflamatório indicado pelo médico veterinário e é preciso higienizar com gaze no soro fisiológico ou chá de camomila. Geralmente o pet tende a melhorar em uma semana.

Uveíte: A uveíte é uma inflamação no órgão que fornece sangue para a córnea, chamada úvea. Essa inflamação pode acontecer por trauma ou infecção bacteriana.

                Os sintomas são: vermelhidão nos olhos, forma irregular do globo ocular, nebulosidade na visão e alterações comportamentais. Se não tratada corretamente, pode evoluir para um glaucoma.

Doenças comuns em cães

Olho seco: Essa síndrome ocorre quando o cachorro não produz a quantidade correta de lágrimas, podendo danificar a córnea. O tratamento são colírios de lágrimas artificiais indicados pelo médico veterinário.

Catarata: Em cães não há tratamento cirúrgico para catarata, a maioria dos casos são congênitos e costuma aparecer a partir dos 6 anos de idade. Seus sintomas são: esbarrar em objetos ao andar e o centro do olho azulado.

Doenças comuns em cães e gatos

Ceratite: Conhecida como inflamação na córnea, é dividida em dois estágios: superficial (que tende a cicatrizar rapidamente) e profunda (pode causar sequela como opacidade no globo ocular e demora a cicatrização). O tratamento é colírio à base de antibióticos receitado pelo médico veterinário.

Entrópio ou Ectrópio: É o reviramento da pálpebra. Quando acontece em direção a parte interna do olho é chamado de entrópio, já para fora, ectrópio. Ocorre com as raças braquicefálicas e o tratamento é cirúrgico.

Glaucoma: É a deterioração da retina por pressão elevada dentro do olho. O pet tende a piscar frequentemente, lacrimejar, passar a pata nos olhos, perder o apetite e vomitar. O tratamento é a utilização de um colírio para diminuir a pressão e se o quadro evoluir passa a ser caso cirúrgico.

Existe alguma prevenção?

Deve-se evitar ao máximo ressecar os olhos de seu pet. Uma atitude que deve ser abolida é deixar que tome vento com a cabeça para fora da janela do carro, pois tem o risco de partículas entrarem ou perfurar os olhos, além de ser uma infração ao Código de Trânsito Brasileiro.

Lembre-se que prevenir é o melhor remédio!

Referência: Revista Cães & Cia edição nº 446, Agosto 2016 – Matéria “Como manter os olhos sempre saudáveis?” Págs 50 e 51.


Quer saber mais sobre o mundo pet?

Assine a nossa newsletter.


 

banner cta

Deixe um comentário