Compulsão por lambedura

Lamber é algo comum que os cães fazem, tanto para higienização como para demonstrar carinho, mas em alguns casos esse comportamento se torna excessivo e frequente, podendo causar feridas no pet. Essa impulsividade pode surgir com o objetivo de amenizar a ansiedade que o pet está sentindo no momento. Geralmente essa lambedura é direcionada para as patas ou cauda, mas também pode ocorrer de o animal lamber pessoas próximas ou até objetos e móveis.

O excesso de se lamber pode ter origem fisiológica, como alergia ou infecção, mas também pode ser psicológica, resultado de muito estresse, ansiedade, necessidade de atenção ou tédio por conta de alguma mudança na rotina do cãozinho. Vermelhidão na pele, pelos molhados e feridas são sintomas desse hábito.

Em cães mais ativos e energéticos que acabam tendo que ficar em espaços menores essa compulsão é mais comum, pois precisam liberar a energia acumulada e acabam ficando ansiosos e estressados.

O QUE FAZER?

Assim que identificado o problema, o ideal é levar o pet ao veterinário para saber qual é a causa. Se for fisiológica, devido a alguma alergia ou infecção, será necessário o acompanhamento médico para tratamento. Já em casos de motivos psicológicos é preciso uma reeducação comportamental acompanhada por um especialista, geralmente adestradores. Se ainda assim não houver sucesso, é possível receitar medicamentos que regulam as moléculas do cérebro associadas a esse comportamento.

O primeiro passo para acabar com essa compulsão é ignorar o cão enquanto ele estiver se lambendo, com isso mostrando que ele não tem sua atenção. O segundo é estimular o gasto de energia, proporcionar momentos de distrações, deixar bastante brinquedos principalmente quando ele ficar sozinho.

Pode acontecer do pet lamber compulsivamente alguém ou algum objeto. Sempre que isso ocorrer é importante que a pessoa se distancie ou retire o objeto alvo do ambiente. Com isso, o comportamento compulsivo do cão deverá diminuir.

Mas é preciso ter paciência, a nova rotina para o tratamento pode demorar um pouco pra ser absorvida pelo pet e para gerar algum resultado positivo. Se os cães são filhotes ou propensos a obedecerem comandos o retorno costuma ser mais rápido!

 


Quer saber mais sobre o mundo pet?

Assine a nossa newsletter.

    captcha

     


    Referência: Revista Cães e Cia, ed. 455, pág. 50.

    banner cta

    Deixe um comentário