Câncer em cães e gatos!

Chegamos ao Outubro rosa! E assim como os seres humanos, cães e gatos também desenvolvem câncer. É importante saber os sintomas, fatores predisponentes, tipos de tratamento e causas, pois quanto mais cedo o diagnóstico, mais eficaz o tratamento.

Os sintomas são diversos: dores ao andar, correr ou pular, dificuldade para urinar e defecar, desânimo, depressão, muito sono, respiração ofegante com ou sem realização de atividades físicas, tosse forte e constante, dor ao tentar engolir podendo deixar de comer, perda de peso, feridas que não cicatrizam, aparecimento de caroços e inchaço pela região do corpo.

Todos os cães estão propensos a desenvolver câncer, mas existem fatores que podem ajudar, como: idade avançada, pele despigmentada, doenças virais e exposição ao sol. A doença em si é responsável por metade das mortes de cães com mais de 10 anos de idade. Os tipos mais recorrentes são:

  • Pele
  • Testículos
  • Ósseo
  • Mama 
  • Boca (Uma massa nas gengivas, hemorragia, odor, ou dificuldade para comer são sinais preocupantes. Se forem diagnosticados como malignos, é necessário um tratamento rápido e agressivo.)
  • Linfoma (geralmente o modo de tratamento para esse câncer é a quimioterapia)

Câncer de Mama

O tumor de mama é o mais recorrente em cadelas, já em felinos, é o terceiro. Porém, 85% dos casos em gatas são malignos, enquanto nas cadelas o índice pode variar de 65 à 85%. A incidência aumenta a partir dos 8 anos em cães e 10 anos em gatos.  O tipo de alimentação pode ser um fator predisponente. Quanto mais gordura o alimento tiver, maior a chance de desenvolver.

Apalpar as glândulas mamárias é um método preventivo para saber se seu pet está ou não desenvolvendo um nódulo, mas o adequado é castrar o quanto antes. Se o câncer for detectado, o método mais comum é a mastectomia.

Tratamento

Existem diversos tipos de tratamento e é o médico veterinário que irá decidir o mais eficaz: cirurgia, quimioterapia, radiação, criocirurgia (congelamento), hipertermia (aquecimento) ou imunoterapia. Muitas vezes é preciso combinar diferentes tipos de tratamento para ser eficiente.

A chance de cura depende do tempo em que foi diagnosticado e a gravidade do tumor. A agressividade do tratamento também influencia. As formas de diagnosticar podem ser por radiografia, ultrassonografia, exames de sangue e biópsia.

Lembre-se que prevenir é o melhor remédio!

Referência:http://www.cachorrogato.com.br/cachorros/cancer-cachorro/
               http://idmedpet.com.br/saude-de-a-z/cancer-em-caes-quais-os-tipos-mais-comuns-e-quais-os-principais-sintomas.html
               http://portaldodog.com.br/cachorros/listas/10-sinais-de-cancer-nos-cachorros/
               http://portaldodog.com.br/cachorros/saude/cancer-em-cachorros/
               http://g1.globo.com/minas-gerais/triangulo-mineiro/noticia/2012/12/cancer-e-cada-vez-mais-comum-nos-caes-em-uberaba-mg.html
               http://caes.topartigos.com/tumores-em-caes-sintomas-e-tratamento.html

Simule aqui um Plano de Saúde para seu Pet!


banner cta

Deixe um comentário