Cuidados que devemos ter com os gatinhos fujões

Felinos são realmente fantásticos. Com autossuficiência e segurança de sobra, os gatos costumam ser os donos da própria vida, com o tutor ao lado, claro. Muitos gostam de ir para a rua, o que é normal da espécie, pois os gatos precisam de espaço para “caçar sua presa”, dominar, mas existem muitos perigos ao deixá-los sair.

Ao deixar seu bichano passear, há uma chance grande de reprodução, tanto que a população felina está em ascensão no Brasil, Estados Unidos e Inglaterra. Quando os gatos se reproduzem rapidamente, as gerações seguintes são propensas a passar zoonoses como a raiva, por exemplo. Algumas doenças também são transmitidas por briga de gatos e em lugares contaminados pelo esgoto e não tem cura, como a Esporotricose (leia mais sobre Esporotricose clicando aqui).

Sabemos que oferecer casa, cama e comida para um gato não é suficiente, mas para substituir a vontade de sair, coloque tela nas janelas, algumas prateleiras na residência e casinha nos lugares mais altos, como estantes e armários. Comece a acostumá-lo com a guia peitoral para possíveis passeios controlados.

Mas caso seu pet não consiga parar em casa, aqui vai algumas dicas: Use um anti pulgas, sarnas e vermes solicitados pelo médico veterinário uma vez ao mês, deixe as vacinas em dia e não corte as unhas dele, pois assim poderá se defender de possíveis ataques.

Lembre-se que prevenção é o ideal sempre!

Referência: Revista “Pulo do gato” edição 91- matéria “ Gatos que não têm acesso à rua são infelizes?” páginas 35 à 37

Simule aqui um Plano de Saúde para seu Pet!


banner cta

Deixe um comentário