Seu cãozinho anda com dificuldades para enxergar? Descubra o que pode ser!

Semana passada falamos sobre a raça Spitz Alemão e, apesar de serem pequenos, possuem uma saúde bastante forte, mas ainda assim estão sujeitos a algumas doenças preexistentes. Uma delas é a Degeneração Progressiva da Retina, também conhecida como Atrofia Progressiva da Retina, ela não só afeta os Spitzes como também as raças Dachshund, Poodle, Labrador, Schnauzer, Cocker Spaniel, Golden Retriever e Collie. Os casos ocorrem com maior frequência em cães de meia idade à idosos, mas podem haver alguns casos raros em animais jovens.

O QUE É?

A retina é uma membrana bastante sensível do olho, que atingida pela luz desencadeia diversas reações químicas, com isso retém as imagens que vemos e envia para nosso cérebro através do nervo óptico. A degeneração desse órgão pode levar à cegueira, normalmente de ambos os olhos do pet. Essa doença progride de forma lenta e é de origem hereditária, por conta de um desenvolvimento anormal da retina, conhecido como displasia da retina.

SINTOMAS

Os sintomas dessa doença não são fáceis de detectar, o cão não costuma apresentar sintomas tão perceptíveis como vômitos ou vermelhidão. A Degeneração Progressiva da Retina é diagnosticada por alterações no comportamento canino, sendo que a primeira dificuldade no cão é enxergar durante a noite ou em locais pouco iluminados, ele começa a bater a cabeça com frequência nos objetos, não reconhece o dono à distância ou fica constantemente perdido em lugares com pouca luz. Também é possível observar a falta de lubrificação dos olhos e um brilho anormal, causado pela dilatação da pupila que deixa de reagir de forma rápida à luz.

Conforme a doença vai avançando, o pet começa a ter dificuldades também de enxergar em ambientes claros. Deste ponto em diante, a cegueira começa de forma parcial e termina na cegueira total de ambos os olhos. A partida daí será necessário que o cão ande com guias ou que fique em locais que não tenham objetos que possam machucar.

DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO

O diagnóstico só pode ser dado por um médico veterinário, preferencialmente um oftalmologista. Ele encaminhará o pet para um exame conhecido como Eletroretinograma, o qual realiza estímulos usando cores e é feito com o cão acordado, mas não se preocupe, ele não sente dor alguma.

Infelizmente, não existe tratamento conhecido para esta doença, mas alguns estudos estão sendo realizados envolvendo terapias com vitaminas. O ideal a ser feito é tentar melhorar a qualidade de vida do pet, ajudá-lo a conviver com a cegueira. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, os outros sentidos do cão acabam ficando mais desenvolvidos e, por isso, eles conseguem lidar bem com a perda da visão.

Não se esqueça de que prevenir é o melhor sempre, por isso mantenha a saúde do seu pet sempre em dia!

Simule aqui um Plano de Saúde para seu Pet!

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Referências:
<http://portaldodog.com.br/cachorros/saude/atrofia-progressiva-da-retina-em-caes-apr/>
<https://www.clubeparacachorros.com.br/saude/doencas/entenda-sobre-a-atrofia-progressiva-da-retina-em-caes/>
<http://www.vetmetodo.com.br/lulu-da-pomerania-doencas-diagnostico-tratamento-e-prevencao/#diagnostico-e-tratamento-degeneracao-da-retina>

banner cta

Deixe um comentário